cimento-empedrado

O planejamento do uso do cimento em obras de pequeno e grande porte pode representar muita economia. É muito comum que a estocagem ultrapasse o prazo de validade recomendado.

Grande parte das obras nem utiliza as plataformas de madeira, os palites, para estocar o cimento. O contato com o chão reduz muito o tempo de durabilidade do produto.

Dependendo da região e da época do ano, a umidade do ar também influencia. É certo que a embalagem de papel Craft reduz risco de empedramento. Mas a umidade, como maior vilã, tem o poder de ultrapassar.

O cimento hidratado cria pedras em grumos. Para verificar da condição de uso, além da observação visual, pressione os grumos para ver se eles se desmancham com facilidade. Se eles se desmancharem com facilidade, tudo bem, fica fácil voltar para a condição de pó.

Mas caso os grumos sejam em grande quantidade, é provável que a qualidade mecânica do cimento de liga esteja comprometida. Se os grumos não se desmancharem facilmente, é bem provável que o cimento esteja hidratado e não sirva mais para o uso.

Verifique as especificações do cimento
Verifique no alto da embalagem ou nas laterais a classe do cimento, ou seja, o tipo: CP I, CPII, etc.

Para o consumo de pequena escala, o cimento é ensacado em papel Kraft, em embalagens de 50 kg. Na embalagem deve constar conteúdos de composição do produto, cuidados com o manuseio, data de fabricação e validade e indicações para a melhor utilização, sobretudo a respeito do armazenamento.

O produto que está em perfeitas condições de uso apresenta resultado (expresso em porcentagem) abaixo do limite especificado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Este limite varia de acordo com o tipo do cimento (CP II-F-32, CP II-Z-32, CP IV-32, CP V-ARI e CP V-ARI RS).

Deixe um comentário