6 dicas para evitar acidentes em obras de construção civil

Acidentes em obras ainda são, infelizmente, uma realidade na construção civil. Entre os principais riscos, estão as quedas de alturas, cortes, exposição a sons altos, quedas de objetos lesões por esforço repetitivo e até mesmo picadas de insetos e bichos peçonhentos.

Dados colocam o Brasil como a quarta nação que mais registra acidentes de trabalho, atrás apenas de China, Índia e Indonésia. Eles também apontam a construção civil como uma das áreas onde mais acontecem acidentes. Porém, essa é uma realidade que pode e deve ser mudada.

Além de ser uma necessidade ética para as empresas, a diminuição dos acidentes também tem relevância econômica e gerencial. Menos acidentes significam menos custos e melhor gestão das obras.

Ou seja, é dever do gestor e de toda a equipe trabalhar para reduzir os riscos e aumentar a segurança. Quer saber como? Veja 6 dicas para evitar acidentes nas obras!

1. Mantenha o canteiro de obras organizado

A organização do canteiro pode ajudar, e muito, na prevenção de acidentes nas obras.

A sinalização de todas as áreas é fundamental. Os funcionários e visitantes devem saber onde podem transitar, onde o acesso não é permitido, quais são as áreas de risco e assim por diante.

Além disso, cada material, ferramenta e equipamento deve ter o seu devido lugar e a limpeza deve ser realizada frequentemente. Assim, os instrumentos não ficarão espalhados pelas obras e os corredores ficarão livres para circulação, diminuindo o risco de tropeços e quedas.

2. Respeites as normas regulamentadoras

Além de serem uma obrigação legal, as normas regulamentadoras (NR) servem para garantir, na prática, mais segurança. São 36 NRs que se dedicam a assuntos diversos e são obrigatórias para todas as empresas segundo o regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Entre os assuntos estão, por exemplo, trabalho em altura, programas de prevenção e sinalização de segurança. A mais conhecida e aplicada nos canteiros é a NR 18 — Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.  

3. Faça o mapeamento e a classificação dos riscos

O mapa de riscos é um documento gráfico que mostra os riscos presentes em cada espaço baseado no layout da empresa ou do canteiro de obras. Em uma planta, os riscos são mostrados de acordo com o tipo e a gravidade.

Círculos de três tamanhos diferentes mostram se os riscos são pequenos, médios ou grandes. Já o tipo de perigo é identificado por cores da seguinte maneira:

  • Grupo I – Verde – Físicos: energias às quais os trabalhadores estarão expostos, como ruídos, umidade, pressão, temperatura;
  • Grupo II – Vermelho – Químicos: agentes que possam ser inalados pelo trabalhador, como poeiras e vapores;
  • Grupo III – Marrom – Biológicos: incluem bactérias, fungos, parasitas e outros;
  • Grupo IV – Amarelo – Ergonômicos: qualquer situação que possa causar desconforto ao trabalhador, afetando sua saúde, como repetitividade, monotonia;
  • Grupo V – Azul – de Acidentes: qualquer fator que possa afetar a integridade física do trabalhador, como máquinas e equipamentos utilizados sem a devida proteção, por exemplo.

Essa padronização facilita o entendimento dos funcionários sobre os perigos aos quais eles estão expostos. O mapeamento de riscos é uma obrigação de toda empresa, independentemente do tamanho e número de profissionais e o documento deve ser afixado em local visível.

4. Invista em treinamento e capacitação

A falta de consciência sobre riscos e práticas seguras é um fator determinante em muitos acidentes nas obras. Por isso, dedique-se a treinar e capacitar seus profissionais quanto aos procedimentos de segurança, uso de equipamentos, redução de riscos e assim por diante.

Aprenda aqui com este Whitepaper 5 formas eficientes de motivar a sua equipe de construção civil.

5. Garanta o uso de Equipamentos de Proteção Individual

O fornecimento de EPIs também é uma obrigação de todas as empresas. Após uma avaliação feita por um profissional de Segurança do Trabalho, são determinados quais EPIs são necessários para cada atividade no canteiro.

Porém, muitos trabalhadores ainda têm resistência ao uso dos equipamentos de proteção. Talvez porque os considerem incômodos ou simplesmente porque não enxergam a importância deles. Cabe ao gestor e aos líderes de equipe cobrar o uso de EPIs, dar o exemplo e, se necessário, aplicar advertências e punições aos funcionários que descumprirem a norma.

6. Adote práticas de prevenção a acidentes nas obras

A criação de um canteiro de obras seguro é um processo que precisa ser realizado constantemente. Portanto, algumas práticas de prevenção devem ser rotina nos seus projetos. Entre elas, estão, por exemplo:

  • criação de uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA);
  • realização do Diálogo Diário de Segurança (DDS);
  • desenvolvimento e divulgação de manuais de segurança do trabalho;
  • estudo da causa de todos os incidentes que acontecerem, buscando maneiras de evitar que a situação se repita no futuro.

Além de tudo isso, é importante que o gestor de obras tenha em mente que ele precisa encontrar meios de motivar todos os colaboradores. Seja por meio da CIPA, seja ouvindo as necessidades e reclamações deles ou premiando as boas ideias, é preciso engajar cada funcionário, pois a segurança nas obras é um trabalho em equipe.

Gostou das dicas e quer ver outros conteúdos sobre obras? Curta a página da Resdil no Facebook para não perder nada!

Deixe um comentário